Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206

Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206

Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206
QUERO TRAZER A MEMÓRIA O QUE ME DÁ ESPERANÇA
Ajude a manter o TextoLivre.

QUERO TRAZER A MEMÓRIA O QUE ME DÁ ESPERANÇA

QUERO TRAZER A MEMÓRIA O QUE ME DÁ ESPERANÇA

(Lamentações 3:21)

Pr. Teófilo Karkle

 

Preâmbulo: A mente humana com todas as suas capacidades de armazenar 40 milhões de informações aproximadamente, fotos, fatos, nomes, cores, sabores, números, pode levar o ser humano a uma Depressão, trazendo a memória coisas desagradáveis, a ponto de tirar a nossa paz, sono e apetite. Hoje falaremos de coisas que nos pode trazer a esperança.

 

COISAS QUE ME DÃO ESPERANÇA

1.     Me dá esperança ver uma pessoa com fé realizando uma obra.

2.     Me dá esperança ver uma pessoa confiando que Deus dará a saída.

3.     Me dá esperança confiar num homem de palavra e ungido de Deus.

4.     Me dá esperança ler as promessas de Deus na Bíblia.

5.     Me dá esperança ouvir uma boa música profética.

6.     Me dá esperança ouvir a voz de Deus e não as emoções do profeta.

 

NÂO PODEMOS VIVER DE SAUDOSISMOS

Nunca digas: Por que foram os dias passados melhores do que estes? Porque não provém da sabedoria esta pergunta. (Ec 7.10)

 

PARADOXOS DA NOSSA VIDA DIARIA – COMO NÓS OSCILAMOS

Há dias em que estamos efervescendo de alegria; há outros em que nos liquefazemos de tristeza.

Há dias em que somos cidadãos da esperança; há dias em que habitamos as regiões mais baixas da desesperança e da infelicidade.

Há dias em que somos campeões de fé, há dias em que já estamos derrotados antes mesmos da batalha.

Há dias em amanhecemos com um canto de louvor nos lábios; há dias em que amanhecemos com a boca cheia de lamúria e de murmuração.

Há dias de luz; e dia de trevas.

Há dia para tudo debaixo do sol, e nenhum de nós passa a vida inteira sem se chocar com essas paradoxas. Todos nós chocamos com isso.

Essas coisas às vezes instala-se em nós, e dependendo do momento, o que se cria no nosso interior é um fruto extremamente amargo, com fisionomia da maior desesperança.

 

É possível que alguns aqui nesta noite estejam vivendo essas situações.

A maioria de nós tem vivido de um modo ou de outro essa situação de perder a fé na vida, de perder a doçura de esperar. E assim vamos ficando meio duros, nos viciamos com a desgraça e perdemos toda a chance de projetar, para além daqui, algo melhor.

 

Nossa mente vive empurrando-nos para as agonias do passado, para o que nos machucou. Com isso vamos ficando amadurecidos petrificados, insensível e a situação vai ficando caótica e acabamos perdendo a possibilidade de crer, de esperar, de se empolgar, de sonhar, de ver melhor, de profetizar ante as desgraças da vida a libertação que só vem do Senhor.

 

Jeremias um dia esteve assim: Aflito, esmagado, cansado, oprimido, a nação massacrada pelo regime estrangeiro, pela superpotência babilônica que estava achatando todas as esperanças humanas. A situação interna também era caótica.

 

Havia uma tremenda humilhação nacional, a onde todos assumiram o fato de que eram seres humanos de segunda categoria e portanto, servos perdidos dos senhores babilônicos.

 

Além disso, havia idolatria, mornidão, desesperança, afastamento de Deus, apostasia da fé, o caos familiar instalado nos país.

 

De repente o próprio Jeremias começou a deixar contagiar-se.

Amanheceu sem sonhos.

Dormiu sem fé.

Amanheceu no dia seguinte incrédulo.

Dormiu cínico. Acordou no dia seguinte mais cínico... Apático.

Dormiu a noite seguinte, morto de sentimentos.

 

A Desesperança às vezes é a posição mais cômoda para não desenvolvermos e assumirmos uma guerra e uma batalha de fé, mas de um outro lado, ela é a prisão que nos define, que estabelece nossas fronteiras de dor e de nada.

 

Jeremias nessa situação, ao perceber esse estado de desgraça, volta-se, confronta-se a si mesmo, sacode de si o mofo emocional e diz:

"Não! Não permitirei que a minha mente seja um baú de más recordações. Não permitirei que a minha mente seja um poço das amarguras. Não vou permitir que a minha mente seja com uma teia a aprisionar todos os insetos malévolos, demoníacos que fazem zumbidos ruins, conservando-os aqui dentro da minha cabeça. A Minha memória não será a memória da dor.

 

Eu quero trazer à memória o que me pode dar esperança.

Esse versículo 21 é de uma grandeza extraordinária.

"Eu quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Isso porque a memória de Jeremias estava se exercitando no lembrar-se do trágico, no decorrer ao passado humilhante. A Memória vivia esse ciclo da amargura, da desgraça, do ruim, só passado algoz, quando ele diz: "Chega! Não vou viver assim, por que eu vou chamar a minha memória o que me pode dar esperança".

 

Como estamos vivendo hoje, pergunta o Espírito de Deus?

O que é que tem ocupado o nosso pensamento?

O que é que tem dominado a nossa mente?

O que é que têm de alguma forma encharcada todas as nossas idéias?

O que é que tem constituído os grandes temas dos nossos raciocínios?

Quais são os pensamentos que estão caracterizando a nossa fixação de idéias?

Ou quais são as obsessões que invadiram a nossa intimidade?

 

Alguns que estão aqui me ouvindo só tem pensado na perda, na humilhação, na frustração, no abandono, seja do esposo da esposa ou na ingratidão dos filhos, ou no golpe que nos deu aquele a quem tratamos com carinho.

Alguns aqui só têm conseguido lembrar do caos horrível que vêm do passado. A Vida humana só é vida no passado, porque um dia o passado, no passado foi presente para nós.

O passado, a nós só interessa como coisa que um dia foi presente. Mas agora, o nosso desafio está aberto para o futuro. Todas as coisas são possíveis para Deus, menos as absurdas em si mesmas.

Ele não pode criar nada maior do que ele.

 

Versículo 21 "Eu quero trazer a memória o que me pode trazer esperança". Quais são as realidades que precisamos trazer a memória, a afim de que elas nos dêem esperanças?

Jeremias encontrou pelos menos sete realidades básicas e fundamentais, mediante as quais ele podia deixar-se encharcar-se de esperança para a sua vida.

1° A Primeira delas, é o fato de que Deus ao qual servimos é "MISERICORDIOSO". As misericórdias do Senhor são as causas de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manha."

 

O Problema de Jeremias e de muitas outras pessoas era como estavam acordando. De manha, ele era um poço de amargura.

 

Então ele diz "Eu quero trazer a memória o que me pode dar esperança.

O que podia dar esperanças a Jeremias?

As misericórdias do Senhor. O Fato de que Deus é o Deus que renova as coisas.

 

2° A Segunda realidade que me traz esperanças.

O que me traz a mente é a FIDELIDADE DO SENHOR, porque essa misericórdia de Deus não é mero emocionalismo divino. É uma misericórdia patrocinada pelo caráter de Deus.

A Garantia de que a sua misericórdia veio e continuará vindo, é a fidelidade de Deus.

Na segunda Carta de Paulo ao Jovem Pastor Timóteo 2:12-13, ele diz: que se o negamos, ele por sua vez nos negará, mas se formos infiéis, ele, todavia permanece fiel, porque de modos algum ele pode negar-se a si mesmo.

Esta realidade de que Deus não muda, de que ele não volta atrás, é uma esperança imbatível na minha mente. Por mais que eu tenha deprimido, por mais que eu esteja no limiar da apostasia, por mais que eu tenha feito uma curva terrível na verdade que devia ser a minha vida, há um compromisso de Deus em me segurar. Grande é a sua FIDELIDADE, ele está mais comprometido consigo mesmo do que conosco.

Posso olhar em volta e ver que tudo está caótico, a família, a vida, os negócios, o vaivém, eu mesmo. Mas posso ter esperança, por que aquele o qual me relaciono, não negocia minha vida com ninguém, ele casou comigo, é fiel, fez o pacto, fez aliança e foi o próprio Jesus que disse:

"Esta é a nossa aliança no meu sangue; é o pacto de morte, é a fidelidade até as últimas conseqüências, é o casamento de Deus com a alma humana que crê em Jesus Cristo, e todos aqueles que crerem tem o selo da Vitória.

 

3° Terceira Realidade que Jeremias traz à mente, a fim de alentar-se é o fato de que tarda, mas chega a "INTERVENÇÃO" DE DEUS. Quando Jeremias descobriu que por mais que os anos estivessem passados, e ele não estivesse vendo livramento, valia a pena esperar no Senhor. Quem espera no Senhor não vai encontrar outra coisa, senão Bondade.

Bom é guardar a salvação do Senhor em silencio, sem lamúria, sem murmuração, sem resmungar, sem amaldiçoar o dia do nascimento, sem lançar na cara de Deus o fato dele nos ter feito, de ter permitido que a nossa vida cruzasse com a vida de pessoas que hoje nos machucam.

 

É bom aguardar em Deus, pode tardar mais vem, e quando chega, chega com extrema bondade e enquanto não vem eu aguardo em silencio, aquietando minha alma, para não deixar vozes de amargura falem mais alto dentro de mim. Guardarei a minha vez, glorificando o nome de Jesus.

 

4° Quarta REALIDADE que Jeremias traz à mente para vencer sua depressão. Jeremias descobriu que nesse trato difícil de dor, Deus estava trabalhando no seu Caráter. Todo o cerco acaba favorável e num bem para mim.

Todo estado de sítio, de dor em volta, acaba sendo um bem para mim, acaba servindo tempeureticamante para a mente, para caráter e para as emoções.

Essa situação às vezes chega para nos vergar, por que pouca coisa é pior para a vida humana do que a prosperidade.

Prosperidade pacífica acaba se transformando em ilusão e engano para a própria alma, por que a natureza humana no conforto prolongado, quase sempre se esquece de Deus.

 

Tenha paciência e tire proveito da situação.

 

Porque é ruim o que está acontecendo, mas o resultado final é bom. Há esperança no final. Aceite quebrantamento, esse jugo, fique em silencio, ponha a boca no pó. Ainda há esperança.

 

5° O quinto elemento indispensável usado por jeremias quanto a reabilitar a esperança na mente, é uma atitude de "MANSIDÃO".

Ao invés de transformar as ações num ciclo de desgraça violência e de morte, faça com que estas ações batam e morram usando a mansidão para com aqueles que te fere.

 

6° Em sexto lugar, jeremias diz que restaura a sua esperança quando ele entende e crer no fato da COMPAIXÃO DIVINA. Isso é mais do que misericórdia.

O Versículo 32 diz que Deus sempre usa de Compaixão. Ele não deixa ninguém triste para sempre.

O Interesse dele não é de ver-nos cabisbaixos, arrasados, encurvados, flexionados na vida, mas ele vai se compadecendo de ver a situação que hoje nos enverga, nos humilha e que rompe os nossos horizontes. Ele como pai se deixa mover, ele se importa, vem a nosso encontro e diz: "Sim, estou aqui" Ele estende as mãos, é o Emanuel, Deus conosco, Deus da misericórdia, do livramento.

Ele não está com os olhos fechados, os ouvidos tapados, as mãos encolhidas, a mente alienada, e os pensamentos longe do mundo concreto, da vida real, dos dramas da existência que fazem parte da nossa própria história.

Ele está aqui para ouvir a sua oração e responder.

Deus está sobre tudo.

A Bíblia nos afirma que nada acontece absolutamente nada neste mundo, fios de cabelo não caem, folhas não se deixam varrer pelo vento, pedra não rolam das montanhas.

Viva a vida com dignidade.

Viva a vida com esperança a intervenção do Senhor.

 

 
© 2011 Texto Livre - Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.

Compartilhe

 
Free Joomla Templates: from JoomlaShack.com