Ajude a manter o TextoLivre.

O que é Moral?

Talvez você já tenha lido ou ouvido falar de moral em alguns lugares. Talvez você até já a tenha usado esta palavra em suas conversas ou textos. Mas será que você entende mesmo o que é a Moral? Para quê ela serve? Qual a sua importância? Se você acha que tem algumas lacunas no seu entendimento sobre o que seria a moral, no decorrer desse texto será possível que você resolva este problema.

 

Uma das mais constantes preocupações atuais é a “utilidade”, por isso uma das perguntas que cercam a palavra moral é: pra que serve? A seguir vou responder esta e a outra questão, que muito interessa: o que é? Pode não ser surpreendente, mas a moral tem como finalidade nos dar valores que nos possibilitem viver bem. E viver bem é viver feliz. Assim, a moral é o tão buscado caminho para a felicidade. Se você duvida talvez precise prestar um pouco mais de atenção no que se encontra ao redor do conceito na palavra “moral”.

 

A arte de viver bem ou de bem viver, tem como base o sentido do bem e do mal. Você até pode fazer-se de desentendido, mas as pessoas de modo geral sabem discernir o bem do mal através de uma intuição inata. Tal sentido, tal discernimento especial é o que chamamos de consciência.

 

Consciência é uma das palavras mais importantes que acompanham o conceito de moral. É também um conceito interessante a ser explorado, mas não nesta ocasião. Você certamente tem alguma ideia do significado de consciência. Se não, você pode pensar na consciência como aquela voz, dentro da sua cabeça, que diz quando algo é legal e conveniente ou quando é mau, ilegal e injusto. Essa voz que se manifesta diante de nossas ações, nos momentos em que devemos escolher que atitude tomar, está presente em todas as pessoas, salvo talvez em casos patológicos.

 

O entendimento de consciência permite dividir as pessoas em duas categorias: as que seguem os apetites, os prazeres e as paixões e os que antes de tudo perguntam se uma coisa é justa e boa. O primeiro tipo é aquele que não dá ouvidos à sua consciência. Estes têm por habito seguir suas vontades e assim acabam por perder o sentido do bem e do mal. É preciso que este sentido seja exercitado e cultivado a fim de tornar a consciência mais firme e sensível. Por isso as pessoas (sobre tudo aquelas que buscam a felicidade) devem sempre atentar para a qualidade de seus atos, isto é muito importante.  

 

Quanto à questão de mal e bem, talvez seja preciso um pouco de dedicação para evitar enganos e confusões. Às vezes, por hipocrisia ou confusão (muito mais frequentemente hipocrisia) trocamos o mau pelo bom, declarando bom àquilo que é mau e mau aquilo que é bom. Não se enganem, no fim é pior para vocês. O mal é o mal e o bem é o bem. Algo que é mal será mal tanto agora quanto foi no passado e quanto será no futuro. E será mau tanto aqui quanto no Japão o mesmo vale para o bem. É preciso ter uma atitude clara a firme quanto ao bem e ao mal, quando se pretende ser uma pessoa moral, portanto cuidado no discernir o bem do mal. Com tudo, você não deve ter muita dificuldade em identificar mal e bem. Mas se tiver duvidas pense no mal como aquilo que degrada, corrompe, estraga e destrói a humanidade, coisas como mentira, covardia, crueldade, preguiça, desordem, intemperança, etc. Já o bem é tudo quanto é justo, bom, socorredor, tudo quanto sustem, encoraja, consola etc.

Ainda na mesma ideia do parágrafo anterior quero que seja claro que a lei moral não é mera convenção, algo que foi inventado para apontar isso como mau e aquilo como bom. Não é, também, algo que vale para uns, mas não para todos. Digo lei moral porque é isto que a moral é, uma lei, de forma semelhante às leis da física. Leis são fixas e invariáveis. Se você jogar uma pedra para cima em São Paulo ou em Roma a padre vai cair segunda determina a mesma lei da gravidade. Em lugar algum a água de um rio sobe morro acima. Assim, mentir ou roubar são coisas más, não porque haja mandamentos ou convenções que as proíbam, mas porque o mentir e o roubar desorganizam a vida e destroem as relações humanas. Não foram os homens que inventaram a lei moral. Durante a vida, através de gerações, nós compreendemos que certas maneiras de agir eram um atentado contra a vida, ao passo que outras eram saudáveis, edificantes e favoráveis. Está mais para descoberta do que invenção.

Espero sinceramente que o texto lhe tenha esclarecido algo sobre a moral e que tanto quanto lhe esclareceu também tenha lhe aberto novas lacunas para que você possa continuar sua busca por novos entendimentos. Coloquei em negrito algumas palavras e termos para que possam, se quiserem, pesquisar seus conceitos e assim aprofundar seus conhecimentos. Agradeço por lerem o texto e espero que sintam-se a vontade para deixar qualquer comentário.

 
 
© 2011 Texto Livre - Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.

Compartilhe

 
Joomla Extension: by JoomlaShack