Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206

Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206

Warning: Creating default object from empty value in /home/textolivre/web/templates/js_elated/wright/doctypes/default.php on line 206
O SAPO NÃO LAVA O PÉ...
Ajude a manter o TextoLivre.

O SAPO NÃO LAVA O PÉ...

                                        O SAPO NÃO LAVA O PÉ...

 
 
Tarde de verão. Depois de uma chuva forte. Os sapos estavam na cantoria. Como se um sapo tivesse
desafiando outro. Os sapos gostam de cantar depois da chuva. Os ansiosos, nem esperam a chuva
passar. Vão mostrando suas vozes sedutoras. Demonstrando alegria esperando a noite chegar.
 
Na beira da lagoa, estão dois amigos participando do evento: Bagaço e Remela. Dois sapos jovens...
Parece dupla sertaneja mas não é (Preferiram seguir a carreira solo. Ficando mais independentes).
_ Croac, croac, croac...
_ Croac, croac, croac...croac, croac, croac...
 
_ Croac, croac...croac...Bagaço.... você tá aí?...Bagaço...
 
_ To aqui...
_ Parou de cantar por quê? Croac, croac...
_ Estava pensando, sabe...
_ No quê?...Croac, croac..
_ Estou atravessando uma fase tão ruim, mas tão ruim que, se chover perereca vai cair um sapo na
minha cabeça...Que fase que eu to vivendo. Ninguém merece!
_ Não fala assim, todo mundo passa por isso...
_ Eu sei. Tem outras coisas que me intrigam a respeito da nossa espécie.
_ O quê por exemplo? Croac, croac...
 
Bagaço relatou os motivos que o levaram a parar de cantar por alguns instantes naquela tarde de verão:
 
_ Sabe a música que as professoras ensinam sobre a gente nas escolas infantis; que toda criança canta?
_ A que fala que a gente não lava o pé porque não quer?
_ Sim. Queria saber quem foi o engraçadinho que inventou. O compositor entende nada de sapo.
 
 "O sapo não lava o pé
Não lava porque não quer

Ele mora lá na lagoa

Não lava o pé porque não quer

Mas que chulé!!!"

 

_ É antiga. Quando eu era girino não entendia nada. Só percebi a letra depois que virei sapo.
_ Por isso mesmo. Minha avó já dizia: "Filho, quando você crescer vai ouvir uma música.
Quem inventou não tinha que fazer na vida. É tudo mentira. A gente lava o pé e não tem chulé..."
 
_ Bagaço, será que as quase 5 mil espécies de nós espalhadas pelo mundo pensam mesma coisa?
_ As que vivem no brejo devem pensar...Mas não é só isso que me incomoda. Tem outras coisas...
_ Me fala os motivos que causam aborrecimento em você...Bagaço...croac, croac, croac...
 

 
_ Remela, presta atenção. Algumas coisas são horríveis e capciosas. Falam que somos desprovidos de
beleza. Fazemos parte dos ingredientes das 'poções' mágicas que as bruxas preparam para fazer o mal...
Que cantamos para alguma princesa desavisada vir nos beijar para nos transformar em gente. Veja só...
E depois príncipe. Você acha que uma princesa linda. Perfumada. Vai botar a linda boquinha carnuda...
Lábios macios. Gosto de mel... Num sapo fofinho como nós. Um simples súdito que habita no brejo?
 
 
_ Acho que não Bagaço. Dizem que todo sapo canta esperando o beijo pra virar príncipe. Mas é lenda.
_ Remela...por acaso já viu algum anfíbio vertebrado da ordem dos batráquios fazer parte da realeza?
_ Apesar das histórias eu nunca vi isso não...Bagaço.
 
 
_ Outra coisa que me incomoda, Remela. Quando alguém comete uma gafe por que tem que falar:
"Paguei o maior sapo..." Nos momentos de aperto, nas justificativas fala: "tive que engolir outro sapo..."
" fiquei com cara de sapo."Quando há recém nascido falam: "não pode beijar na boca porque dá sapinho."

_ Eu sei Bagaço, para eles somos criaturas repugnantes. Eles não sabem que nos alimentamos de insetos.
Comemos moscas, mosquitos, pernilongos, formigas. Além de vermes e lagartas...Desconhecem que somos
criaturas úteis. Verdadeiros indicadores ecológicos. Fazemos bem ao ecossistema.
 
_ Remela, Dia desses estava eu num poço comendo alguns petiscos. Nossa, levei um baita susto. Vi uma criança
estatelando-se no chão. Fiquei apavorado, olhando pra ela. Ela teve algumas escoriações. Mas nada sério. Eu olhei
bem nos seus olhos. Vi o medo. Ela me encarou firme. Direcionando seu olhar para os meus pés. No mínimo era
daquelas crianças que cantam que... "o sapo não lava o pé"... Acho que ela tava conferindo se eu tinha chulé. Ela
olhou para cima, chamou por alguém e logo vieram tirá-la. Mostrei pra ela que meus pés estavam limpinhos. Sem
chulé...ainda mostrei a língua de quebra..e disse: bye, bye...
 
_ Agora entendo porque parou de cantar...Bagaço...
_ Remela, vou te falar uma coisa que você não sabe. Descobri tem pouco tempo...
_ O quê...
_ Você sabe porque os sapos ficam felizes e adoram cantar depois da chuva?
_ Não...por quê?
_ Para atrair as fêmeas. Ficam felizes depois da chuva porque sabem que as pererecas estão molhadinhas.
 
 

 
                                                                                                                     Alberto S.L
 
© 2011 Texto Livre - Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.

Compartilhe

 
Joomla Templates at JoomlaShack.com