Ajude a manter o TextoLivre.

Os Antepassados do Homem

       A árvore genealógica de humanidade.

       O homo sapiens é o único representante vivo da família dos hominídeos nos dias atuais. Mas, há cerca de 1-2 milhões de anos, muitas espécies de hominídeos coesxistiam. Como o estudo do homem primitivo tem sido desenvolvido, sobretudo, a partir do registro fóssil-em parte incompleto-não é clara a relação que estas espécies guardavam entre sí. Mesmo com o emprego de técnicas mais modernas, como a bioquímica comparativa, que ajudam a preencher as lacunas, poucas são as certezas e muitas as conjeturas.

     

       Como são os hominídeos

       Os hominídeos são primatas. Os demais primatas são prissímios, macacos, gorilas, chimpanzés e orangotangos. São bípedes, isto é, possuem dois pés e, consequentementa andam, andam eretos. Têm um cérebro relativamente grande.Os cientistas reconhecem dois gêneros de hominídeos: o gênero Australopithecus e o Homo. O gênero Ardipithecus pode ser tido como o mais antigo hominídeo conhecido. 

       Duas pernas...

       O bipedismo-capacidade de andar ereto sobre duas pernas-foi determinante na evolução da inteligência humana. Duas razões principais justificam sua importância: o bipedismo requer uma coordenação maior, acarretando um maiordesenvolvimento do sistema nervoso e do cérebro, e também permite que as mãos estejam livres para carregar e manipular alimentos e objetos. O consequente desenvolvimento de habilidades necessárias para a fabricação de ferramentas também contribui para o desenvolvimento cerebral.

       A postura bípede confere ainda outras vantagens. Aumenta a altura, pewrmitindo que possam enxergar mais ao longe as suas presas e os predadores na savana aberta. Ela também diminui a área corporal exposta aos efeitos do aquecimanto da luz solar. Os humanos não são os únicos a caminhares eretos. Ocasionalmente, os grandes macacos também o fazem, mas de modo menos eficiente. Mas a postura ereta apresenta desvantagens. Os bípedes não podem correr tão rápido quanto os quadrúpedes, e o desgaste excessivo que o bipedismo causa nos quadris, nas costas e nos joelhos pode levar a limitações. No gorila centro de gravidade, no interior dos quadris; as pernas se movimentam para a frente. No homem, o centro de gravidade entre entre os quadris; Os joelhos travam para suportar o peso do corpo; os pés estão diretamente abaixo dos quadris e dos joelhos.

 

       A invenção da sociedade humana

       Todos os primatas têm vida social complexa. Portanto, saber adaptar-se ao convívio ´às exigências do grupo é, em geral, mais importante do que a aptidão física. O desenvolvimento de habilidades sociais produz intensas demandas intelectuais, que ajudaram a desenvolver a inteligência dos primatas, em particular as dos humanos.

       Características do desenvolvimento da organização social humana. Cérebros maiores e mudanças na caixa vocal propiciam amior habilidade para a manipulação e o desenvolvimento da fala. O uso do fogo permite que os grupos permaneçam em um mesmo local, ao menos temporariamente, pois ele é fonte de aquecimento e proteção. A fabricação e o uso de ferramentas tornam a coleta de alimentos mais eficiente. Formas de comunicação complexas, verbal e visual, permitem maior integração na busca de alimentos. A divisão dos alimentos leva à vida comunitária e à organização social. Na divisão do trabalho, os machos caçam; as fêmeas educam as crianças.  A infância longa torna torna necessária  a supervisão dos pais e, assim, estimula a formação de grupos para dividir a educação infantil. A vida em comunidade,segurança adquirida e habilidades de comunicação complexas levam ao surgimento de manifestações de cultura, como arte e práticas rituais. A vida em sociedade garante maior proteção do grupo e a facilidade de transmissão de conhecimentos.

 

       30 milhões de anos atrás. Aegyptopithecus, talvez o primeiro dos primatas parecido com o homem, ou o hominóide, viveu onde hoje é o Egito.

       20-16 milhões de anos atrás. Proconsul, ou driopiteco, um pequeno primata tido como o ancestral comum dos macacos, viveu nas florestas tropicais úmidas da África. Escalava os ramos das árvores com os pés e as mãos.

       10 milhões de anos atrás. O afropithecus surgiu no leste da África, Ásia e Europa. Possuia dentes com esmalte espessado, provavelmente adaptados à sua dieta à base de frutos duros, raízes e nozes. Dentes com grande quantidade de dentina têm maior durabilidade, e permitem ao animal alimentar-se de modo eficiente até uma idade mais avançada. Isto conribui para um aumento médio de vida.

       4,3-3,9 milhões de anos atrás. O Australopithecus anamensis surgiu no leste da África. É o membro mais antigo conhecido dos australopitecíneos, um grupo de hominídeos verdadeiros, distinto dos primatas semelhantes ao homem ou hominóides. Apesar de esta espécie ter uma mandíbula muito parecida com a dos primatas, os ossos de suas pernas mostram claramente que ele tinha locomoção bípede.

 

       4,4 milhões de anos atrás. O ardipthecus ramidus, semelhante aos primatas, viveu na região hoje denominada de Etiópia. Ev idências sugerem que fosse bípede, levando alguns especialistas a classificá-lo como o primeiro hominideo verdadeiro.

       4,3 milhões de anos atrás. O Australopthecus afaensis viveu em várias partes da África. Ele é o último ancestral comum de todas as espécies conhecidas de hominídeos que surgiram posteriormente. Em média com 1,5m de altura, um cérebro pequeno, braços longos e pernas curtas, há evidências que sugerem, também, uma diferença nítida de tamanho entre os sexos. "Lucy", o primeiro fóssil encontrado desta espécie, parece ter somente 1,1m de altura.

 

       3,5-3 milhões de anos atrás. O Australopithecus bahelghzali surgiu na África. Similar ao Autralopithecus afarensis, mas com uma mandíbila semelhante à dos primatas de menor estatura.

 

       2,6-2,3 milhões de anos atrás. O Australopithecus aethiopicus foi encontrado no lesta da África. Herbívoro, tem dentes molares muito grandes para triturar devidamente  matéria vegetal e uma crista óssea evidente na fronte.

 

       2,5 milhões de anos atrás. O Austrapithecus africanus, um onívoro, viveu no sul da África. O primeiro fóssil de hominídeo desenterrado na África, em 1924, foi de uma criança desta espécie, conhecido como "Menino de Taung", nome do local onde foi encontrado.

       Neste período, um novo gênero , Homo, se ramificou da árvore genealógica da fampilia dos hominídeos. Coesxistiu com o Australopithecus por 1,5 milhões de anos. Fisicamente o homus se diferencia do australopithecus por ter: cérebro maior, mandíbulas mais delicadas com dentes menores, nova posição da caixa vocal, que pode, eventualmente, tornar possível a fala.

 

       2,3-1,4 milhões de anos atrás. O Australopithecus boisel, de ossos pesados, viveu no lesta da África. Posasui uma crista sagital(um osso saliente no topo da capeça) e dentes molares enormes, o que sugere uma dieta predominantemente de plantas. Os machos são maiores e mais pesados do que as fêmeas.

 

       2,1-5 milhões de anos atrás. O Australopithecus robustus viveu no sul da África. Grande e forte, ele tem uma face larga com mandíbulas robustas e dentes molares grandes, indicando que se alimentava de plantas. Alguns fósseis mostram um proeminente saliência na fronte.

       2,1 milhões de anos atrás. O homo hábilis existiu no leste da África, junto as australopitécinios; mas, ao contrário deles, fabricava ferramentas e tinah também um cébro maior.

 

       1,8 milhões de anos atrás. O homo rudolfensis viveu no leste da África. É um parente próximo de homo habilis

 

       1 milhão de anos atrás. Nesta época, os australopitecíneos tornam-se extintos.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Superenciclopédia Ilustrada-Enciclopédia Seleções, tradução Stela Maris Gandour...et all, Rio de Janeiro, Reader's Digest, 2004, a quem agradeço pela autorização para reprodução deste texto. E-mail atendimento@seleções.com.br

 
© 2011 Texto Livre - Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.

Compartilhe

 
Joomla Template Tutorial from JoomlaShack.com